Rua Vereador Luiz Pícolli, 299 - Centro - CEP:85415-000
Acessibilidade

EDUCAÇÃO

Alunos de Central Santa Cruz realizam projeto "valorizando o lugar onde vivo"

Quarta-feira, 05 de outubro de 2016

Última Modificação: 17/10/2016 09:33:08 | Visualizada 856 vezes

Crianças conheceram a produção leiteira 100% Milk


Ouvir matéria

Com o objetivo de valorizar a propriedades agrícolas do município de Cafelândia, desde 2012 a Escola Municipal do Campo Manoel da Nóbrega em parceria com o Colégio Benjamim Antônio Motter realiza o projeto “valorizando o lugar onde vivo”.

 

Através do projeto, os alunos realizam visitas as propriedades rurais e conhecem a forma de produção de cada localidade. Na última visita, eles conheceram a produção leiteira 100% Milk, da família Scksdtein e Stadikoski.

 

Na oportunidade o casal Marciane e Valdicir Stadikoski, acompanhado das filhas Rafaela e Fernanda e do pai Dealmar Scksdtein, mostraram como funciona o dia a dia do empreendimento até que o leite seja transportado para a indústria. Ao final da visita os alunos receberam alguns produtos fabricados com o leite que vem das propriedades rurais para entender como funciona o processo de produção de alimentos.

 

Para a secretária de Educação e Cultura, Viviane Griggio Vissovati, o projeto vem ao encontro da ideologia da Escola do Campo. “Eu quero parabenizar os professores, a direção e todas as crianças que por meio deste projeto tiveram a oportunidade de conhecer e valorizar o local onde vivem. Nós da secretaria de Educação bem como a administração municipal sempre apoiamos e mantivemos parcerias com as escolas da rede municipal e estadual localizadas no Central Santa Cruz e com esse projeto não seria diferente”, ressaltou.

 

A diretora da Escola do Campo Manoel da Nóbrega Marlene Verônica Diba Gulhak, ressaltou que através desse projeto os alunos conhecem formas diferentes de produção dando possibilidades para eles viverem no campo. “Se eles tem conhecimento, veem a possibilidade de trabalhar no campo e sintem orgulho desse trabalho com certeza eles vão ter mais incentivos para permanecer na comunidade. Muitas vezes eles podem até mesmo se formar em algo que agregue valor a atividade e permanecer no campo”.

Fonte: ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO E MARKETING

 Veja Também