Rua Vereador Luiz Pícolli, 299 - Centro - CEP:85415-000
Acessibilidade

Cafelândia inicia campanha de vacinação contra febre aftosa

Sexta-feira, 04 de novembro de 2016

Última Modificação: 10/11/2016 17:08:11 | Visualizada 702 vezes


Ouvir matéria

A Secretaria Municipal de Agricultura de Cafelândia, em parceria com a ADAPAR, está realizando entre os dias 01 e 30 de novembro a Campanha de Vacinação contra febre aftosa.

 

A vacinação e sua comprovação são obrigatórias. A comprovação deve ser feita até o dia 30 de novembro nas Unidades Locais de Sanidade Agropecuária da ADAPAR.

 

Segundo a veterinária da Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente Cafelândia, Ângela Sovinski, nesta etapa de novembro é obrigatório vacinar todos os bovinos e búfalos, a partir de 0 meses de idade. A estimativa é que animais de 251 propriedades cadastradas sejam vacinados no município. “Pedimos que o produtor fique atento para não deixar de vacinar ou passar a campanha e sofrer as penalidades junto a ADAPAR”.

 

O produtor deve comprar a vacina nas casas agropecuárias, obter a Nota Fiscal de compra da vacina e o Comprovante de Vacinação.

 

Neste ano o valor da multa para o produtor que não vacinar e não comprovar a vacinação está bem mais alta em relação às campanhas anteriores. Nas propriedades com até 10 animais, a multa será de R$ 945,50, independente se apenas um animal não foi vacinado. Nas propriedades com mais de 10 animais, a multa vai incidir no seu valor total – de R$ 945,50 – mais R$ 94,50 por animal não vacinado. Essa mesma penalidade será aplicada para quem não comprovou a vacinação, além de não poder transportar seus animais para qualquer finalidade. 

 

Febre Aftosa

A Febre Aftosa é uma doença infecciosa aguda, causada por vírus, sendo uma das mais contagiosas que atingem os bovinos, búfalos, ovinos, caprinos e suínos. Causa febre, seguida do aparecimento de vesículas (aftas) principalmente na boca e nos cascos, dificultando a movimentação e alimentação dos animais, o que acarreta elevada e rápida perda de peso e queda na produção de leite, tendo como consequência grandes prejuízos na exploração pecuária. Qualquer objeto contaminado com uma dessas fontes de infecção torna-se uma perigosa fonte de transmissão da doença de um rebanho a outro.

Fonte: ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO E MARKETING

 Galeria de Anexos

 Anexo

 Galeria de Fotos

 Veja Também